OS CURSOS

 

Nós, da IWF, somos especializados em treinamentos em diversos segmentos de mercado. Entre eles, destacamos as áreas de Telecomunicações, Energia, Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), Certificações e Gestão de Pessoas.

Aqui, preparamos equipes autoconfiantes, com visão estratégica e foco nos resultados. Por isso, desenvolvemos soluções de acordo com cada necessidade do cliente, em dois módulos de curso: Sob Medida e Personalizado.

cursos-img-d

Áreas de Interesse

Conheça nossos principais programas de capacitação, de acordo com sua área de interesse:


Redes

Redes Móveis

Sistemas de Telecomunicações

Rede Metálica

Rede Externa HFC


Energia

Certificação Cisco CCNA / CCNP

TIC

Unix / Linux

Gestão de Pessoas

DESCRIÇÃO: Este curso tem como objetivo fornecer aos participantes as informações necessárias para interpretarem e compreenderem diagramas elétricos unifilares, trifilares e funcionais de baixa e alta tensão, baseados nas normas NBR-5175, NBR-12522, NBR-12523, NBR-IEC-60694 e demais normas correlatas, bem como desenvolver sua capacidade de análise de circuitos de comandos elétricos.

PÚBLICO ALVO: Técnicos indicados pela empresa.

DURAÇÃO: 5 dias (40 horas)

PROGRAMA:

1. Panorama geral de subestação
1.1. Geração, Transmissão e Distribuição
2. Conceito de desenhos elétricos
2.1. Função e utilização dos diagramas elétricos
2.1.1. Representação funcional
2.2. Simbologia normalizada (NBR-12522, NBR-12523, NBR-IEC-60694)
3. Tipos de diagramas elétricos
3.1. Unifilar, Trifilar e Funcional
4. Nomenclatura e funções dos reles de proteção, controle e regulagem (NBR 5175 – Código numérico das funções dos dispositivos de manobra, controle e proteção de sistemas de potência
4.1. Descrição funcional de relés
5. Simbologia gráfica em circuito de alta e baixa tensão
5.1. Utilização da simbologia normalizada em sistemas de alta tensão
5.2. Utilização da simbologia normalizada em sistemas de baixa tensão
6. Elaboração de diagramas funcionais
6.1. Diagramas de comando, unifilar, trifilar e funcional de baixa tensão
6.2. Diagramas de operação (sinótico) e unifilar funcional de sistemas de alta tensão
7. Visita à subestação do cliente para a visualização de detalhes abordados na aula teórica(Exercício prático).
Obs. Serão utilizados diagramas das subestações e painéis do cliente.

NORMAS APLICÁVEIS
 ABNT NBR 5175:1988 – NORMA EM REVISÃO
Esta Norma estabelece um código numérico para identificação das funções dos dispositivos de manobra, controle e proteção de sistemas de potência, para ser utilizado nos esquemas de sistemas e instalações elétricas (unifilares, multifilares, simplificado, etc.), bem como nas especificações, livros de instruções e outras publicações, listagem de materiais, etc.
 ABNT NBR 12522:1992
Esta Norma estabelece os símbolos gráficos de produção e conversão de energia elétrica.
 ABNT NBR 12523:1992
Esta Norma estabelece os símbolos gráficos de equipamentos de manobra e controle e de dispositivos de proteção.
 ABNT NBR IEC 60694:2006
Esta norma se aplica a equipamentos de manobra de c.a e a mecanismos de comando, projetados para instalação interna e externa e para operações com frequência de serviço até e incluindo 60 Hz em sistemas que possuam tensões acima de 1.000 V.

DESCRIÇÃO: – Fornecer ao treinando condições para o desenvolvimento de competências
profissionais necessárias ao desenvolvimento de atividades ou funções típicas, segundo os padrões de qualidade e produtividade requeridos pela natureza do trabalho do Técnico em Eletrotécnica;
– Fornecer aos treinandos o conhecimento teórico das diversas atividades da área de Eletrotécnica;
– Contribuir para o desenvolvimento técnico e econômico das empresas que utilizam serviços de Eletrotécnica.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que atuam na área de energia elétrica.

DURAÇÃO: 10 dias (160 horas)

PROGRAMA:

1. Noções básicas de eletricidade
1.1. Conceito de carga elétrica
1.1.1. Lei de Coulomb
1.1.2. Intensidade de campo elétrico
1.1.3. Potencial elétrico e energia potencial elétrica
1.1.4. Relação entre campo elétrico e potencial elétrico
1.2. Capacitância e capacitores
1.2.1. Energia potencial elétrica armazenada em um capacitor
1.2.2. Corrente elétrica CC e AC: Lei de Ohm
1.3. Resistência elétrica
1.3.1. Condutores elétricos – tipos e características
1.4. Potência elétrica
1.5. Energia elétrica
1.6. Pilhas e acumuladores de energia elétrica
1.7. Circuitos elétricos de corrente contínua
1.7.1. Leis de Kirchhoff
1.8. Instrumentos de medidas elétricas
2. Noções básicas de magnetismo
2.1. Origem do campo magnético
2.2. Materiais magnéticos
2.3. Intensidade de campo magnético
2.4. Fluxo magnético e densidade de fluxo
3. Noções de eletromagnetismo
3.1. Campo magnético de uma corrente elétrica
3.2. Permeabilidade de materiais magnéticos
3.3. Auto-indutância
3.4. Força magnetomotriz
3.5. Circuitos magnéticos
3.6. Conceitos de fluxo e enlace
4. Interações eletromagnéticas e eletromecânicas
4.1. Força eletromotriz induzida
4.2. Força magnética em um condutor
4.3. Força magnética entre condutores
5. Corrente alternada senoidal
5.1. Geração da FEM senoidal
5.2. Conceitos fundamentais
5.2.1. Valor instantâneo
5.2.2. Valor máximo
5.2.3. Valor eficaz
5.2.4. Período e freqüência
5.2.5. Conceito de defasagem
5.3. Circuito resistivo
5.4. Circuito indutivo
5.5. Circuito capacitivo
5.6. Circuito RL, Circuito RC e Circuito RLC
5.7. Transitórios
5.8. Potência em circuitos RLC
5.9. Conceito de ressonância
5.10. Representação fasorial de tensões e correntes
5.11. Representação em forma complexa
5.12. Operações com números complexos
5.13. Impedância em forma complexa
5.14. Potência em forma complexa
5.15. Associação de impedâncias
5.16. Fator de potência de cargas monofásicas
5.16.1. Circuitos de corrente alternada: Aplicação das leis de Kirchhoff
6. Circuitos trifásicos
6.1. Geração de um sistema trifásico de tensões equilibradas
6.2. Ligações trifásicas fundamentais
6.2.1. Ligações delta ou triângulo
6.2.2. Ligação estrela ou Y
6.3. Relações entre tensões de linha e de fase
6.4. Correntes em circuitos trifásicos equilibrados
6.5. Potências em circuitos trifásicos equilibrados
6.6. Cargas trifásicas em paralelo
6.7. Circuitos trifásicos desequilibrados
7. Máquinas elétricas
7.1. Princípios de conversão eletromecânica de energia
7.2. Geradores e motores elétricos
7.2.1. Características construtivas de geradores e motores CC
7.2.2. Força eletromotriz
7.2.3. Torque eletromagnético
7.2.4. Tipos de excitação
7.3. Características dos geradores CC
7.3.1. Operação e aplicações dos geradores com excitação independente
7.3.2. Operação e aplicações dos geradores com excitação shunt
7.3.3. Operação e aplicações dos geradores com excitação série
7.3.4. Operação e aplicações dos geradores com excitação composta
7.4. Características dos motores CC
7.4.1. Operação e aplicações dos motores com excitação independente
7.4.2. Operação e aplicações dos motores com excitação shunt
7.4.3. Operação e aplicações dos motores com excitação série
7.4.4. Operação e aplicações dos motores com excitação composta
7.4.5. Noções de acionamentos com motores de corrente contínua
7.5. Transformadores
7.5.1. Princípio de funcionamento de transformadores monofásicos
7.5.2. Operação em vazio e em carga
7.5.3. Rendimento e regulação de tensão
7.5.4. Transformadores trifásicos e bancos de transformadores
7.5.5. Polaridade e defasamento angular em transformadores trifásicos
7.5.6. Operação em paralelo
7.6. Máquinas síncronas de corrente alternada
7.6.1. Características construtivas
7.6.2. Força eletromotriz
7.6.3. Relação entre o número de pólos, a freqüência e a velocidade
7.6.4. Operação como gerador: regulação de tensão e rendimento
7.6.5. Operação como motor: partida e controle do fator de potência
7.6.6. Efeito da carga e da corrente de excitação
7.6.7. Aplicações do motor síncrono trifásico
7.7. Máquinas assíncronas de corrente alternada
7.7.1. Tipos e características construtivas
7.7.2. Motores de indução trifásicos: operação, características e aplicações
7.7.3. Partida de motores de indução trifásicos
7.7.4. Vida útil do motor de indução trifásico
7.7.5. Geradores de indução: operação, características e aplicações
7.7.6. Motores de indução monofásicos: operação, características e aplicações
8. Proteção
8.1. Dispositivos de manobra, proteção, comando e seccionamento
8.1.1. Grandezas características dos dispositivos de manobra e proteção
8.1.2. Dispositivos fusíveis de baixa tensão
8.1.3. Disjuntores de baixa tensão
8.2. Dispositivos a corrente diferencial-residual

DESCRIÇÃO: – Fornecer ao treinando informações e conceitos sobre máquinas elétricas;
– Fornecer conhecimentos teóricos na identificação, equacionamento e solução
de problemas técnicos que ocorram durante as atividades de operação e
manutenção de máquinas elétricas;
– Fornecer conhecimentos teóricos fundamentais para inspeções e execução de
testes de segurança em máquinas e instalações elétricas.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que atuam em sistemas elétricos ou trabalham com máquinas elétricas.

DURAÇÃO: 5 dias (40 horas)

PROGRAMA:
1. Conceitos básicos e princípios de conversão de energia e circuitos magnéticos
2. Geradores CC
3. Geradores CA
4. Transformadores monofásicos e trifásicos
5. Motores de indução trifásicos
6. Motores síncronos
7. Motores de corrente contínua
8. Motores para aplicações especiais
9. Metodologias para avaliação de características operacionais e desempenho
10. Qualidade de energia
11. Proteção de motores elétricos e de transformadores
12. Manutenção de motores elétricos e transformadores

DESCRIÇÃO: Ao final do treinamento os participantes deverão reconhecer os diversos tipos de máquinas elétricas, ler e interpretar diagramas de comando e localizar possíveis falhas em diagramas e circuitos de comando.

PÚBLICO ALVO: Eletricistas e mantenedores industriais.

DURAÇÃO: 5 dias (40 horas)

PROGRAMA:

1. Conceitos básicos
1.1. Fontes de energia
1.1.1. Hidráulica
1.1.2. Térmica
1.1.3. Nuclear
1.1.4. Solar
1.1.5. Eólica
1.1.6. Biomassa
1.1.7. Gás natural
1.1.8. Carvão mineral
1.1.9. Carvão vegetal
1.1.10. Marés
1.1.11. Geotérmica
1.1.12. Hidrogênio
1.1.13. Células a combustível
1.2. Geradores de energia
1.3. Sistema de distribuição de energia
1.4. Condutores elétricos
1.4.1. Metais utilizados como condutores elétricos
1.4.2. Isolação dos condutores elétricos
1.4.3. Características gerais dos cabos elétricos
1.4.4. Fios e cabos de cobre
1.4.5. Normas e dimensionamento de condutores
1.5. Instalações elétricas
1.5.1. Redes aéreas e isoladores
1.5.2. Redes elétricas em condutos
1.5.3. Eletrodutos rígidos
1.5.4. Eletrodutos flexíveis
1.5.5. Normas e aplicações de eletrodutos
1.5.6. Passagem de condutores em rede de eletrodutos
2. Motores elétricos
2.1. Conceitos básicos
2.1.1. Trabalho mecânico
2.1.2. Potência mecânica
2.1.3. Momento e Conjugado mecânico
2.1.4. Momento de inércia
2.1.5. Acoplamentos mecânicos
2.1.6. Eficiência e rendimento
2.1.7. Corrente contínua
2.1.8. Corrente alternada
2.1.9. Potência elétrica
2.1.10. Fator de potência
2.1.11. Relação entre conjugado e potência
2.2. Tipos de motores elétricos
2.3. Motores de indução monofásicos
2.3.1. Motor de fase dividida
2.3.2. Motor de capacitor de partida
2.3.3. Motor de capacitor permanente
2.3.4. Motor com dois capacitores
2.3.5. Motor de campo distorcido
2.4. Motores de indução trifásicos
2.4.1. Partes constituintes
2.4.2. Campo girante
2.4.3. Velocidade síncrona e escorregamento
2.4.4. Características de desempenho
2.4.5. Características de operação
2.5. Sistemas de partida de motores de indução trifásicos
2.5.1. Chave estrela-triângulo
2.5.2. Chave série-paralela
2.5.3. Chave compensadora
2.5.4. Soft-start
2.6. Defeitos comuns nas ligações dos motores
2.6.1. O motor não parte
2.6.2. O motor não mantém carga
2.6.3. Ligações erradas
2.6.4. Funcionamento ruidoso
3. Painéis e quadros elétricos
3.1. Quadros de distribuição de luz – QDL
3.2. Quadros de distribuição de força – QDF
3.3. Quadros de comando e controle – QDC
3.4. Centro de controle de motores – CCM
3.5. Dispositivos de proteção
3.5.1. Fusíveis
3.5.2. Disjuntores
3.5.3. Relés térmicos
3.5.4. Interruptor de corrente de fuga
3.5.5. Relé de proteção contra curto-circuito
3.5.6. Relé de proteção contra sub e sobretensão
3.5.7. Relé de proteção contra desequilíbrio de corrente
3.5.8. Relé de proteção diferencial
3.5.9. Detecção de barras rompidas no rotor
3.5.10. Detecção de arco voltaico
3.5.11. Seletividade e coordenação da proteção
3.6. Contatores
3.6.1. Partes constituintes e princípio de funcionamento
3.6.2. Tipos de contatores
3.6.3. Contator tripolar
3.6.4. Identificação dos contatos
3.6.5. Categoria de emprego
3.6.6. Acessórios
3.6.7. Condições de funcionamento elétrico
3.6.8. Condições de funcionamento mecânico
3.6.9. Defeitos comuns
3.6.10. Identificando defeitos
3.6.11. Simbologia
3.7. Botões de comando
3.7.1. Botões de comando de impulsão
3.7.2. Botões de comando de comutação
3.7.3. Componentes de um botão de comando elétrico
3.7.4. Botoeira
3.7.5. Identificação e especificação de botões de comando
3.7.6. Funcionamento e manutenção
3.7.7. Acessórios
3.7.8. Simbologia
3.8. Sinalização
3.8.1. Sinalização sonora
3.8.2. Sinalização visual
3.8.3. Padrão de cores para sinalizadores
3.8.4. Simbologia
3.9. Temporizadores
3.9.1. Elementos de um temporizador
3.9.2. Temporizadores bimetálicos
3.9.3. Temporizadores eletromecânicos
3.9.4. Temporizadores pneumáticos
3.9.5. Temporizadores eletrônicos
3.9.6. Relé de tempo eletro-pneumático
3.9.7. Características elétricas
3.9.8. Simbologia
3.10. Bornes de conexão
3.10.1. Elementos dos bornes e conectores
3.10.2. Tipos de bornes de ligação
3.10.3. Conectores split-bolt
3.10.4. Conectores paralelos
3.10.5. Borneiras
3.10.6. Características elétricas
3.10.7. Especificação
3.10.8. Simbologia
3.11. Chaves auxiliares
3.11.1. Tipo fim de curso
3.11.2. Funcionamento do fim de curso por impulso
3.11.3. Funcionamento do fim de curso com contato instantâneo
3.11.4. Funcionamento do fim de curso com contato prolongado
3.11.5. Contatos auxiliares
3.11.6. Simbologia
3.12. Acessórios
3.12.1. Acionamento motorizado
3.12.2. Intertravamento mecânico
3.12.3. Manopla para acionamento rotativo em porta de painel
3.12.4. Chave de transferência motorizada
4. Transformadores
4.1. Princípio de funcionamento
4.2. Tipos e aplicações
4.2.1. Transformadores para circuitos de comando
4.2.2. Transformadores para instrumentos – TP e TC
4.2.3. Transformador trifásico
4.3. Ligação dos transformadores
4.3.1. Estrela
4.3.2. Triangulo
4.3.3. Ziguezague
4.4. Resfriamento dos transformadores
4.4.1. ONAN
4.4.2. ONAF
4.4.3. OFAF
4.5. Transformador a seco
5. Correção do fator de potência
5.1. Legislação
5.2. Fator de potência
5.2.1. Conceitos básicos
5.2.2. Principais causas e conseqüências do baixo fator de potência
5.2.3. Onde corrigir o baixo fator de potência
5.2.4. Vantagens da correção do fator de potência
5.3. Correção do fator de potência em baixa tensão
5.3.1. Tipos de correção do fator de potência
5.3.2. Locais de correção do fator de potência
5.4. Correção do fator de potência em redes com harmônicos
5.5. Cuidados na aplicação e instalação de capacitores
5.6. Manutenção preventiva
5.7. Principais conseqüências da instalação incorreta de capacitores
5.8. Contatores para manobra de capacitores

DESCRIÇÃO:

– Fornecer ao treinando informações e conceitos sobre máquinas elétricas utilizadas em processos industriais;
– Apresentar conceitos básicos sobre acionamentos elétricos e processos automáticos;
– Fornecer conhecimentos teóricos na identificação, equacionamento e solução de problemas técnicos que ocorram durante a atividade de manutenção;
– Fornecer conhecimentos teóricos fundamentais para inspeções e execução de testes de segurança em máquinas e instalações elétricas.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que atuam em sistemas elétricos e processos industriais.

DURAÇÃO: 5 dias (40 horas)

PROGRAMA:
1. Conceitos básicos e princípios de conversão de energia
2. Transformadores monofásicos e trifásicos
3. Motores de indução trifásicos
4. Motores síncronos
5. Motores de corrente contínua
6. Motores para aplicações especiais
7. Metodologias para avaliação de características operacionais e desempenho
8. Sistemas de proteção para motores elétricos
9. Manutenção de motores elétricos
10. Acionamento de máquinas elétricas.

DESCRIÇÃO: Ao final do treinamento os participantes devem ter conhecimento básico do sistema elétrico de potência – Geração, Transmissão e Distribuição – e seu principio de proteção.

PÚBLICO ALVO: Eletricistas.

DURAÇÃO: 5 dias (40 horas)

PROGRAMA:
1. Conceito Organizacional do Sistema Elétrico de Potência
1.1. O modelo e os agentes do sistema elétrico brasileiro
1.1.1. Tipos de contratos entre agentes
1.1.2. Consumidores Livres
1.2. ONS e ANEEL
1.3. Geração
1.4. Transmissão
1.5. Distribuição
2. Geração de Energia
2.1. Conceitos básicos
2.2. Conceitos básicos da matriz energética
3. Transmissão de Energia
3.1. Conceitos básicos
3.1.1. Linha Viva
3.1.2. Linha Morta
3.1.3. Linha Energizada
3.2. Sistema interligado
3.3. Linhas de Transmissão Aéreas de Corrente Alternada
3.4. Linhas de Transmissão Aéreas de Corrente Contínua
3.5. Linhas de Transmissão Subterrânea
3.6. Linhas de Transmissão Submersa
4. Subestação
4.1. Conceitos básicos
4.2. Função e Tipos
4.3. Conceito dos Equipamentos
4.3.1. Para-raio
4.3.2. Transformadores de potência
4.3.3. Transformadores para instrumentos (TC, TP, TPc)
4.3.4. Transformadores de aterramento
4.3.5. Transformador de serviços auxiliares
4.3.6. Transformador regulador
4.3.7. Regulador de tensão
4.3.8. Chaves seccionadoras
4.3.9. Disjuntores
4.3.10. Reatores
4.3.11. Capacitores
4.3.12. Compensadores síncronos
4.3.13. OPLAT
4.3.14. UTR
4.4. Sistemas de Aterramento
4.4.1. Malha de aterramento
4.4.2. Tensão de toque
4.4.3. Tensão de passo
4.4.4. Aterramento móvel temporário
4.5. Serviço Auxiliar
4.5.1. CA
4.5.2. CC
5. Proteção de Sistemas Elétricos de Potência
5.1. Conceitos Básicos
5.1.1. Noções básicas sobre relés
5.1.2. Estrutura física
5.1.3. Principais tipos construtivos
5.1.4. Meios de comunicação
5.1.5. Tipos de relés mais utilizados
5.2. Proteção de Linha
5.2.1. Sobrecorrente
5.2.2. Distância
5.2.3. Direcional
5.2.4. Diferencial
5.2.5. Diferencial de sobrecorrente
5.3. Proteção de Barra
5.3.1. Diferencial
5.3.2. Sobrecorrente
5.3.3. Pressão (barramentos a SF6)
5.4. Proteção de Transformador
5.4.1. Sobrecorrente
5.4.2. Diferencial
5.4.3. Proteção de Transformador -Terra
6. Proteção de Disjuntor

DESCRIÇÃO: – Fornecer ao treinando condições para desenvolver e aprimorar habilidades de forma a exercer suas atividades com total responsabilidade, eficiência e qualidade;
– Promover o desenvolvimento de competências profissionais de modo que os treinandos planejem serviços elétricos, executem instalação de distribuição de baixa tensão, montem e reparem instalações elétricas e equipamentos auxiliares em estabelecimentos industriais, comerciais e de serviços.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que atuam na área de energia elétrica.

DURAÇÃO: 10 dias (80 horas)

PROGRAMA:
1. Fundamentos de eletricidade
2. Fundamentos de instalações elétricas industriais
3. Sistemas de medida e representação gráfica
4. Qualidade, saúde, meio ambiente e segurança nos serviços em eletricidade
5. Instalações elétricas industriais
6. Comandos elétricos
7. Máquinas elétricas
8. Manutenção de sistemas elétricos industriais
9. Dispositivos Programáveis
10. Controlador Lógico Programável.

DESCRIÇÃO:

– Fornecer ao treinando condições para desenvolver e aprimorar habilidades de forma a exercer suas atividades com total responsabilidade, eficiência e qualidade;
– Promover o desenvolvimento de competências profissionais de modo que os treinandos planejem serviços elétricos, executem instalação de distribuição de baixa tensão, montem e reparem instalações elétricas e equipamentos auxiliares em estabelecimentos industriais, comerciais e de serviços.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que atuam na área de energia elétrica.

DURAÇÃO: 10 dias (80 horas)

PROGRAMA:
1. Fundamentos de eletricidade
2. Fundamentos de instalações elétricas industriais
3. Sistemas de medida e representação gráfica
4. Proteção contra choques elétricos
5. Planejamento da Instalação
6. Iluminação industrial
7. Linhas elétricas
8. Dispositivos de manobra,,proteção, comando e seccionamento
9. Aquecimento de condutores e queda de tensão
10. Proteção contra sobrecorrentes e sobretensões
11. Motores elétricos
12. Grupos geradores
13. Sistemas de aterramento
14. Automação industrial
15. Manutenção de sistemas elétricos industriais.

DESCRIÇÃO:
– Capacitar os participantes para prevenção em acidentes com eletricidade, em atendimento ao texto da NR-10, credenciando-os à autorização para trabalhos em instalações elétricas;
– Qualificar pessoal técnico para atividades de projeto, construção, montagem, operação e manutenção de instalações elétricas e serviços com eletricidade;
– Desenvolver atitudes profissionais que possam favorecer o desempenho individual e o trabalho em equipe, com preocupação na segurança e qualidade do serviço executado;
– Proteger os trabalhadores que interagem com instalações elétricas, inclusive os que atuam em suas proximidades para fins de outros serviços, mas igualmente expostos aos riscos dessa proximidade.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que, direta ou indiretamente, interajam em instalações elétricas e serviços com eletricidade.

DURAÇÃO: 5 dias (40 horas)

PROGRAMA:

1. Introdução à segurança com eletricidade
2. Riscos em instalações e serviços com eletricidade
2.1. O choque elétrico, mecanismos e efeitos;
2.2. Arcos elétricos; queimaduras e quedas;
2.3. Campos eletromagnéticos.
3. Técnicas de Análise de Risco
4. Medidas de Controle do Risco Elétrico
4.1. Desenergização
4.2. Aterramento funcional (TN / TT / IT), de proteção e temporário
4.3. Equipotencialização
4.4. Seccionamento automático da alimentação
4.5. Dispositivos a corrente de fuga
4.6. Extra baixa tensão
4.7. Barreiras e invólucros
4.8. Bloqueios e impedimentos
4.9. Obstáculos e anteparos
4.10. Isolamento das partes vivas
4.11. Isolação dupla ou reforçada
4.12. Colocação fora de alcance
4.13. Separação elétrica
5. Normas Técnicas Brasileiras – NBR da ABNT: NBR-5410, NBR-5419, NBR-14039 entre outras
6. Regulamentações do MTE
6.1. NRs
6.2. NR-10 (Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade)
6.3. Qualificação, habilitação, capacitação e autorização
7. Equipamentos de proteção coletiva
8. Equipamentos de proteção individual
9. Rotinas de trabalho – Procedimentos
9.1. Instalações desenergizadas
9.2. Liberação para serviços
9.3. Sinalização
9.4. Inspeções de áreas, serviços, ferramental e equipamento
10. Documentação de instalações elétricas
11. Riscos adicionais
11.1. Altura
11.2. Ambientes confinados
11.3. Áreas classificadas
11.4. Umidade
11.5. Condições atmosféricas
12. Proteção e combate a incêndios
12.1. Noções básicas
12.2. Medidas preventivas
12.3. Métodos de extinção
12.4. Atividades práticas
13. Acidentes de origem elétrica
13.1. Causas diretas e indiretas
13.2. Discussão de casos
14. Primeiros socorros
14.1. Noções sobre lesões
14.2. Priorização do atendimento
14.3. Aplicação de respiração artificial
14.4. Massagem cardíaca
14.5. Técnicas para remoção e transporte de acidentados
14.6. Atividades práticas
15. Responsabilidades

DESCRIÇÃO:

– Capacitar os participantes para prevenção em acidentes com eletricidade, em atendimento ao texto da NR-10, credenciando-os à autorização para trabalhos em instalações elétricas;
– Qualificar pessoal técnico para atividades de projeto, construção, montagem, operação e manutenção de instalações elétricas e serviços com eletricidade;
– Desenvolver atitudes profissionais que possam favorecer o desempenho individual e o trabalho em equipe, com preocupação na segurança e qualidade do serviço executado;
– Proteger os trabalhadores que interagem com instalações elétricas, inclusive os que atuam em suas proximidades para fins de outros serviços, mas igualmente expostos aos riscos dessa proximidade.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que, direta ou indiretamente, interajam em instalações elétricas e serviços com eletricidade.

DURAÇÃO: 2,5 dias (20 horas)

PROGRAMA:

1. Introdução à segurança com eletricidade
2. Riscos em instalações e serviços com eletricidade
2.1. O choque elétrico, mecanismos e efeitos;
2.2. Arcos elétricos; queimaduras e quedas;
2.3. Campos eletromagnéticos.
3. Técnicas de Análise de Risco
4. Medidas de Controle do Risco Elétrico
4.1. Desenergização
4.2. Aterramento funcional (TN / TT / IT), de proteção e temporário
4.3. Equipotencialização
4.4. Seccionamento automático da alimentação
4.5. Dispositivos a corrente de fuga
4.6. Extra baixa tensão
4.7. Barreiras e invólucros
4.8. Bloqueios e impedimentos
4.9. Obstáculos e anteparos
4.10. Isolamento das partes vivas
4.11. Isolação dupla ou reforçada
4.12. Colocação fora de alcance
4.13. Separação elétrica
5. Normas Técnicas Brasileiras – NBR da ABNT: NBR-5410, NBR-5419, NBR-14039 entre outras
6. Regulamentações do MTE
6.1. NRs
6.2. NR-10 (Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade)
6.3. Qualificação, habilitação, capacitação e autorização
7. Equipamentos de proteção coletiva
8. Equipamentos de proteção individual
9. Rotinas de trabalho – Procedimentos
9.1. Instalações desenergizadas
9.2. Liberação para serviços
9.3. Sinalização
9.4. Inspeções de áreas, serviços, ferramental e equipamento
10. Documentação de instalações elétricas
11. Riscos adicionais
11.1. Altura
11.2. Ambientes confinados
11.3. Áreas classificadas
11.4. Umidade
11.5. Condições atmosféricas
12. Proteção e combate a incêndios
12.1. Noções básicas
12.2. Medidas preventivas
12.3. Métodos de extinção
12.4. Atividades práticas
13. Acidentes de origem elétrica
13.1. Causas diretas e indiretas
13.2. Discussão de casos
14. Primeiros socorros
14.1. Noções sobre lesões
14.2. Priorização do atendimento
14.3. Aplicação de respiração artificial
14.4. Massagem cardíaca
14.5. Técnicas para remoção e transporte de acidentados
14.6. Atividades práticas
15. Responsabilidades

DESCRIÇÃO:

– Informar aos participantes as condições mínimas exigíveis pela Lei (Norma Regulamentadora NR-10), para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações elétricas em alta tensão e no SEP (Sistema Elétrico de Potência), em suas diversas etapas, incluindo projeto, execução, operação, manutenção, reforma e ampliação e, ainda a segurança de usuários e terceiros;
– Capacitar os participantes para trabalharem com segurança na área elétrica, em alta tensão, oferecendo uma visão sistêmica dos riscos e medidas preventivas, de modo a minimizar acidentes e doenças ocupacionais;
– Capacitar os participantes para prevenção em acidentes com eletricidade, em atendimento ao texto da NR-10, credenciando-os à autorização para trabalhos em instalações elétricas em alta tensão;
– Desenvolver atitudes profissionais que possam favorecer o desempenho individual e o trabalho em equipe, com preocupação na segurança e qualidade do serviço executado.

PÚBLICO ALVO: Todos os Profissionais que trabalham com instalações elétricas
em alta tensão e no SEP (Sistema Elétrico de Potência).

DURAÇÃO: 5 dias (40 horas)

PROGRAMA:

1. Organização do Sistema Elétrico de Potencia – SEP.
2. Organização do trabalho:
2.1. Programação e planejamento dos serviços;
2.2. Trabalho em equipe;
2.3. Prontuário e cadastro das instalações;
2.4. Métodos de trabalho;
2.5. Comunicação.
3. Aspectos comportamentais.
4. Condições impeditivas para serviços.
5. Riscos típicos no SEP e sua prevenção:
5.1. Proximidade e contatos com partes energizadas;
5.2. Indução;
5.3. Descargas atmosféricas;
5.4. Estática;
5.5. Campos elétricos e magnéticos;
5.6. Comunicação e identificação;
5.7. Trabalhos em altura, máquinas e equipamentos especiais.
6. Técnicas de análise de Risco no S E P
7. Procedimentos de trabalho – análise e discussão.
8. Técnicas de trabalho sob tensão:
8.1. Em linha viva;
8.2. Ao potencial;
8.3. Em áreas internas;
8.4. Trabalho a distância;
8.5. Trabalhos noturnos; e
8.6. Ambientes subterrâneos.
9. Equipamentos e ferramentas de trabalho (escolha, uso, conservação, verificação, ensaios).
10. Sistemas de proteção coletiva.
11. Equipamentos de proteção individual.
12. Posturas e vestuários de trabalho.
13. Segurança com veículos e transporte de pessoas, materiais e equipamentos.
14. Sinalização e isolamento de áreas de trabalho.
15. Liberação de instalação para serviço e para operação e uso.
16. Treinamento em técnicas de remoção, atendimento, transporte de acidentados.
17. Acidentes típicos – Análise, discussão, medidas de proteção.
18. Responsabilidades.

DESCRIÇÃO: Fornecer noções básicas sobre execução de instalações elétricas prediais com segurança e como evitar acidentes com a eletricidade.

DURAÇÃO: 10 dias (80 horas).

PROGRAMA:

1. Normas de segurança
1.1. Segurança em instalações elétricas – NR 10
1.2. Equipamentos de proteção
1.3. Cuidados específicos
1.4. Recomendações gerais
1.5. Fontes de choque elétrico
1.6. Cuidados para evitar acidentes com energia elétrica
1.7. Segurança do trabalho
2. Eletricidade básica
2.1. Introdução à eletricidade
2.2. Corrente elétrica
2.3. Tensão elétrica
2.4. Resistência elétrica
2.5. Potência elétrica
2.6. Efeito joule
2.7. Corrente alternada
3. Leitura e interpretação de diagramas elétricos
3.1. Escalas
3.2. Planta baixa
3.3. Simbologia das instalações elétricas
3.4. Projeto de instalação elétrica
3.4.1. Diagrama Multifilar
3.4.2. Diagrama Unifilar
3.4.3. Diagrama Funcional
3.4.4. Diagrama de Distribuição
4. Montagem e instalação de sistemas de tubulações
4.1. Localização de elementos e traçado de percurso da instalação elétrica
4.2. Montagem e instalação de tubulações metálicas e PVC com caixas e conduletes
5. Enfiação e conexão de condutores elétricos
5.1. Materiais e ferramentas para emenda de condutores
5.2. Emendas de condutores
5.3. Tracionamento de condutores em tubulações
5.4. Componentes de acionamento
6. Montagem e instalação
6.1. Iluminação
6.2. Tomadas
6.3. Sistema de acionamento
6.4. Sensores de presença
6.5. Minuterias
6.6. Ventilador de teto
6.7. Chaves de comando de motores CA
7. Proteção em instalações elétricas prediais
7.1. Prescrições fundamentais da Norma NBR 5410
7.2. Terminologias
7.3. Proteção contra sobrecorrentes
7.3.1. Disjuntores termomagnéticos
7.3.2. Fusíveis
7.4. Proteção contra choques elétricos e efeitos térmicos
7.5. Disjuntores e interruptores diferenciais residuais (DR)
8. Aterramento
8.1. Conceitos
8.2. Surtos, descargas atmosféricas
8.3. Proteção
8.4. Valor da resistência de aterramento
8.5. Componentes e materiais
9. Noções e práticas básicas em instalações
9.1. Emenda de condutores em prosseguimento
9.2. Instalação de uma lâmpada incandescente acionada por um interruptor de uma seção
9.3. Instalação de uma lâmpada incandescente acionada por um interruptor de uma seção conjugado com uma tomada
9.4. Instalação de duas lâmpadas incandescentes acionadas por um interruptor de duas seções
9.5. Instalação de duas lâmpadas incandescentes acionadas por um interruptor de uma seção
9.6. Instalação de duas lâmpadas incandescentes acionadas por um interruptor de duas seções conjugado com uma tomada
9.7. Instalação de uma lâmpada incandescente acionada por interruptores paralelo ou “tree-way”
9.8. Instalação de uma lâmpada incandescente acionada por interruptores tree-way e four-way
9.9. Instalação de uma campainha ou cigarra
9.10. Instalação de tomada com condutor de proteção
9.11. Instalação de lâmpada acionada por fotocélula
9.12. Instalação de uma lâmpada fluorescente de 40w com reator do tipo comum
9.13. Instalação de duas lâmpadas fluorescentes de 40w com reatores do tipo comum, acionadas por um interruptor de uma seção
9.14. Instalação de duas lâmpadas fluorescentes de 40w com reator duplo do tipo partida rápida
10. Circuitos internos de telefone e TV

NORMAS APLICÁVEIS

NR10 – Norma Regulamentadora Nº 10 – Segurança em instalações e serviços em eletricidade
Esta Norma estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores que, direta ou indiretamente, interajam em instalações elétricas e serviços com eletricidade.

ABNT NBR 5444:1989 – Símbolos gráficos para instalações elétricas prediais
Esta Norma estabelece os símbolos gráficos referentes às instalações elétricas prediais.

ABNT NBR 5410:2004 – Instalações elétricas de baixa tensão
Esta Norma estabelece as condições a que devem satisfazer as instalações elétricas de baixa tensão, a fim de garantir a segurança de pessoas e animais, o funcionamento adequado da instalação e a conservação dos bens. Aplica-se principalmente às instalações elétricas de edificações, qualquer que seja seu uso.

DESCRIÇÃO: Ao final do treinamento os participantes devem ter conhecimento sobre os instrumentos de ensaios utilizados na manutenção dos equipamentos existente dentro da subestação conforme normas técnicas e do fabricante.

PÚBLICO ALVO: Técnicos ou profissionais das Áreas de Operação e Manutenção de Subestações.

DURAÇÃO: 5 dias (40 horas)

PROGRAMA:

1. Conceito, Função e Utilização dos Instrumentos
1.1. Multímetro (Analógico e Digital)
1.2. Megômetro (Digital e Analógico)
1.3. Medidor de relação de espiras de transformadores (TTR – importado ou MRT – Nacional) (Manivela e eletrônico)
1.4. Microhomimetro (ducter)
1.5. Medidor de rigidez dielétrica do óleo isolante
1.6. Capacímetro
1.7. Oscilógrafo
1.8. Hipot
1.9. Câmera Termográfica
1.10. Cromatógrafo portátil
1.11. Analisador de isolação elétrica (Doble)
1.12. Medidor de descargas parciais
1.13. Terrômetro

2. Normas Técnicas de Utilização

3. Procedimento de Ensaio

4. Procedimento para transporte e acondicionamento

5. Aspecto de segurança

6. Ensaio prático
6.1. Exercício prático

7. Elaboração de relatório no padrão do cliente

DESCRIÇÃO: Ao final do treinamento os participantes deverão ter conhecimento básico de retificadores e bateria, de seus componentes e circuitos, assim como de sua conservação e manutenção, diagnosticando e corrigindo possíveis defeitos.

PÚBLICO ALVO: Técnicos ou profissionais das Áreas de Operação e Manutenção de Subestações.

DURAÇÃO: 2 dias (16 horas)

PROGRAMA:

1. Conceito de Bateria e Retificadores
1.1. Função
1.2. Utilização
1.3. Principio de funcionamento

2. Serviços auxiliares na subestação
2.1. Painel de Corrente Continua
2.2. Painel de Corrente Alternada

3. Retificadores
3.1. Tipos
3.2. Componentes do circuito (transformadores, transistores, Módulos de controle, etc.)
3.3. Sistema de proteção
3.4. Manutenção
3.5. Preventiva (Rotina) e Corretiva
3.5.1. Aferição de voltímetro e amperímetro
3.5.2. Ajuste de tensão de flutuação
3.5.3. Verificação de alarme local, remoto, sonoro e luminoso
3.5.4. Recarga manual
3.5.5. Aspecto prático

4. Baterias
4.1. Tipo (Alcalina, Chumbo, Acido Lítio, Selada, Bateria a gel, etc.)
4.2. Tipos de ligações entre acumuladores de bateria
4.3. Fuga de corrente para terra
4.4. Manutenção
4.5. Preventiva (Rotina) Corretiva
4.5.1. Pontos de conexão
4.5.2. Tensão por elemento
4.5.3. Densidade, temperatura de trabalho, nível de eletrólito
4.5.4. Paralelismo de elemento
4.5.5. Aspecto prático

5. Elaboração de relatório

6. Aspecto de segurança

7. Visita a subestação do cliente
7.1. Exercício prático

DESCRIÇÃO: Ao final do treinamento os participantes deverão ter conhecimentos básicos de moto gerador e seus principais componentes, assim como sua conservação e manutenção básica diagnosticando possíveis defeitos.

PÚBLICO ALVO: Técnicos ou profissionais das Áreas de Operação e Manutenção de Subestações.

DURAÇÃO: 2 dias (16 horas)

PROGRAMA:

1. Conceito de grupo moto gerador
1.1. Tipos
1.2. Função
1.3. Principio de funcionamento
1.4. Utilização na Subestação
2. Equipamentos auxiliares
3. Sistema básico de proteção
3.1. Relés
3.2. Transferência automática (QTA)
4. Manutenção
4.1. Preventiva (Rotina)
4.2. Corretiva (básica)
4.3. Periodicidade de manutenção
4.4. Verificações de rotina
4.4.1. Água radiador, Tensionamento de correia, sistema de refrigeração, mangueira cabos de alimentação e de carga, caixa de comando
4.5. Procedimento para:
4.5.1. Efetuar abastecimento ou troca de óleo lubrificante, filtro, água e combustível, Medição de isolação do alternador e Medição de tensão na bateria
4.6. Funcionamento manual
4.6.1. Aspecto prático
5. Elaboração de relatório
6. Aspecto de segurança
7. Visita a subestação do cliente (com moto gerador)
7.1. Exercício prático

DESCRIÇÃO: Este curso tem como objetivo fornecer aos participantes as informações necessárias para compreenderem a operação e os mecanismos associados aos processos de automação em sistemas de energia, conforme diretrizes apresentadas pela norma IEC 61850.

Durante o treinamento serão desenvolvidas atividades práticas envolvendo ferramenta de configuração baseada em software, utilizada para implementação da norma IEC-61850.

Para a realização das atividades práticas o cliente deverá providenciar 1 PC para cada 2 participantes..

PÚBLICO ALVO: Engenheiros e Técnicos que trabalham com sistemas de Transmissão de Energia Elétrica.

DURAÇÃO: 5 dias (40 horas)

PROGRAMA:

1. Introdução
1.1. Enquadramento
1.2. Objetivos

2. Norma IEC 61850
2.1. Objetivos
2.2. Estrutura
2.3. IED – Dispositivo Eletrônico Inteligente
2.4. Mensagens GOOSE
2.5. Modelo do Objeto
2.5.1. Estrutura da Informação
2.5.2. Dispositivos Lógicos
2.5.3. Nós Lógicos
2.5.4. Dados
2.5.5. Classes de dados comuns
2.5.6. Atributos 2.6 Modelos ACSI – Conceitos básicos

3. Projeto-tipo da EDP
3.1. Arquitetura e Organização funcional do SPCC
3.2. Definição de painéis
3.3. Funções de proteção
3.4. Funções de automatismo

4. Linguagem SCL
4.1. Modelos SCL
4.1.1. Modelo da Subestação
4.1.2. Modelo do IED
4.1.3. Modelo do sistema de comunicação
4.2. Adequação da SCL ao projeto-tipo

5. Especificação do Sistema de Controle e Proteção da Subestação
5.1. Ferramentas de engenharia de sistema
5.2. Visual SCL
5.2.1. Introdução
5.2.2. Descrição da Subestação
5.2.3. Esquema Unifilar da Subestação
5.2.4. Descrição de IEDs
5.2.5. Mapeamento de Funções para IEDs
5.2.6. Descrição do sistema de comunicação
5.2.7. Instâncias de nós lógicos
5.2.8. Validação
5.3. Comunicação entre ferramentas
5.3.1. Ferramenta de configuração de IEDs
5.3.2. Parâmetros de protocolo IEC 61850
5.3.3. Troca de dados entre ferramentas
5.3.4. ICDs de diferentes fabricantes
5.4. Testes e Ensaios
5.4.1. Funções de Proteção
5.4.2. Funções Complementares
5.4.3. Configuração dos painéis de saída MT
5.4.4. Troca de GOOSE entre IEDs

DESCRIÇÃO: Capacitar tecnicamente a equipe responsável pela manutenção em instalações de linhas de transmissão nos conceitos e padrões inerentes à estrutura de transmissão da CLIENTE, dando conhecimento aos treinandos sobre as estruturas e as normas de LT, bem como apresentar os materiais e ferramentas utilizadas nos diversos tipos de serviços.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que realizam ou venham a realizar manutenção em instalações de linhas de transmissão de energia elétrica, com conhecimentos equivalentes à 4ª série do 1º grau.

DURAÇÃO: 3 dias (24 horas)

PROGRAMA:

1. Linhas de transmissão
1.1. Introdução
1.2. Constituição
1.2.1. Linhas de transmissão
1.3. Características
1.4. Esquema típico de um sistema de transmissão
2. Elementos da transmissão
2.1. Subestações Elevadoras e Abaixadoras
2.2. Linhas de Transmissão
2.2.1. Condutores
2.2.1.1. Características físicas das linhas aéreas de transmissão
2.2.1.2. Condutores padronizados
2.2.2. Para-raios
2.2.2.1. Utilização de cabos Overhead Power Ground Wire (OPGW)
2.2.3. Isoladores
2.2.3.1. Solicitações de natureza mecânica
2.2.3.2. Solicitações de natureza elétrica
2.2.3.3. Materiais comumente utilizados
2.2.3.4. Tipos
2.2.4. Estruturas de sustentação ou Torres
2.2.4.1. Ferragens e acessórios
─ Olhais, Porcas, Parafusos e Hastes
─ Ganchos
─ Manilhas, Cavalotes e Mancais
─ Garfos
─ Conchas
─ Balancins
─ Tensores
─ Suportes Alças e Grampos de suspensão
─ Prensa fios, Presilhas, Grampos, Conectores e Luvas
─ Cadeias de suspensão
─ Cadeias de ancoragem
─ Espaçadores e Amortecedores
─ Esferas de sinalização
─ Anéis de distribuição de potencial ou anel anti-corona
2.2.4.2. Disposição dos condutores
─ Triangular
─ Horizontal
─ Vertical
2.2.4.3. Classificação das estruturas
─ Quanto à sua função na estrutura da linha
─ Quanto à forma de resistir
 Autoportantes
 Estaiadas
─ Quanto ao material empregado em sua fabricação
2.2.5. Tipos de fundação em torres autoportantes
2.2.6. Faixas de servidão
2.3. Transposição de Linhas de Transmissão
2.4. Tipos de manutenção em linhas de transmissão
2.4.1. Manutenção em linha desenergizada ou linha morta
2.4.2. Manutenção em linha energizada ou linha viva
2.4.2.1. Método à distância
2.4.2.2. Método ao potencial
2.5. Perdas na transmissão
2.5.1. Perdas ôhmicas
2.5.2. Perdas por efeito corona
2.5.3. Perdas nos isoladores
2.6. Sistemas de aterramento
2.6.1. Definição
2.6.2. Finalidades
2.6.3. Requisitos
2.6.4. Tipos de aterramento: Haste e Contrapeso
3. Materiais e equipamentos
4. Ferramentas
5. Uniforme de trabalho, EPIs e EPCs
6. Principais normas e instruções de manutenção de LTs adotados pelo cliente

DESCRIÇÃO: Capacitar tecnicamente a equipe para dar manutenção em linhas de transmissão desenergizadas até 138 kV, visando o reparo nas diversas estruturas.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que venham a realizar manutenção em instalações desenergizadas até 138 kV , com conhecimentos equivalentes à 4ª série do 1º grau.

DURAÇÃO: 80 horas

PROGRAMA:

1. Utilização do detector de tensão;
2. Saída no condutor;
2.1. Preparação do cabo para saída;
2.2. Reparo em condutores;
2.3. Instalação de esfera de sinalização
3. Baixar condutores e para – raios com uso do revil / moitão
3.1. Em estrutura de ancoragem;
3.2. Em estrutura de suspensão;
4. Abrir e fechar jumper em ancoragem
5. Instalação de amortecedores
5.1. Para – raios
5.2. Cabo condutor
6. Grampear e desgrampear condutores em estrutura de suspensão
7. Reparo em para-raios
8. Emenda de para-ráios
9. Emenda de condutores
10. Substituir isolador;
10.1. Em estrutura ancoragem;
10.2. Em estrutura suspensão;
11. Utilização de escada trapézio;
11.1. Substituir isolador cadeia de suspensão simples;
11.2. Substituir isolador cadeia de suspensão dupla;
11.3. Substituir isolador cadeia de ancoragem simples;
11.4. Substituir isolador cadeia de ancoragem dupla;
11.5. Substituição de amortecedores;

DESCRIÇÃO: Capacitar tecnicamente a equipe para dar manutenção em instalações energizadas em linhas de transmissão de 69KV até 138 KV, pelos métodos à distância e ao potencial, visando reparo nos diversos tipos estruturas.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que venham a exercer a função de eletricista de manutenção em linhas de transmissão, com conhecimentos equivalentes à 4ª série do 1º grau e aptos para exercícios da função

DURAÇÃO: 160 horas

PROGRAMA:

MÓDULO I – TRABALHO EM LINHAS DE TRANSMISSÃO – MÉTODO À DISTÂNCIA (Simulação em instalação desenergizada)
Carga Horária: 36 horas
Objetivo: Aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos, para executar as tarefas de manutenção de linhas de transmissão de 69KV até 138 KV.
Técnicas e Recursos Instrucionais:
– Aula demonstrativa
– Ferramental e equipamentos específicos
– Linhas de Transmissão – 138 KV – (Campo de Treinamento ou Instalação Desenergizada)
1. Preparação de ferramental
2. Troca de isoladores e ferragens em cadeia simples – Estrutura de suspensão metálica – 138KV
3. Troca de isoladores e ferragens em cadeia dupla – Estrutura de suspensão metálica – 138KV
4. Troca de isoladores e ferragens em cadeia simples – Estrutura de ancoragem metálica – 138KV
5. Troca de isoladores e ferragens em cadeia dupla – Estrutura de ancoragem metálica – 138KV
6. Abertura e fechamento de jumper

MÓDULO II – TRABALHO EM LINHAS DE TRANSMISSÃO – MÉTODO AO POTENCIAL (Simulação em instalação desenergizada)
Carga Horária: 04 horas
Objetivo: Aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos, para executar as tarefas de manutenção de linhas de transmissão de 69KV até 138 KV
Técnicas e Recursos Instrucionais:
– Aula demonstrativa
– Ferramental e equipamentos específicos
– Linhas de Transmissão – 138 KV – (Campo de Treinamento ou Instalação Desenergizada)
1. Preparação de ferramental
2. Acesso de eletricista ao potencial com uso de andaime e escada
3. Instalação de reparo no condutor

MÓDULO III – TRABALHO EM LINHAS DE TRANSMISSÃO ENERGIZADAS – MÉTODO À DISTÂNCIA
Carga Horária: 40 horas
Objetivo: Aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos, para executar as tarefas de manutenção de linhas de transmissão de 69KV até 138 KV.
Técnicas e Recursos Instrucionais:
– Aula demonstrativa
– Ferramental e equipamentos específicos
– Linhas de Transmissão – 138 KV.
1. Preparação de ferramental
2. Troca de isoladores e ferragens em cadeia simples – Estrutura de suspensão metálica – 138KV
3. Troca de isoladores e ferragens em cadeia dupla – Estrutura de suspensão metálica – 138KV
4. Troca de isoladores e ferragens em cadeia simples – Estrutura de ancoragem metálica – 138KV
5. Troca de isoladores e ferragens em cadeia dupla – Estrutura de ancoragem metálica – 138KV
6. Abertura e fechamento de jumper

MÓDULO IV – TRABALHO EM LINHAS DE TRANSMISSÃO ENERGIZADAS – MÉTODO AO POTENCIAL
Carga Horária: 08 horas
Objetivo: Aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos, para executar as tarefas de manutenção de linhas de transmissão de69KV até 138 KV .
Técnicas e Recursos Instrucionais:
– Aula demonstrativa
– Ferramental e equipamentos específicos
– Linhas de Transmissão – 138 KV.
1. Preparação de ferramental
2. Acesso de eletricista ao potencial com uso de andaime e escada
3. Instalação de reparo no condutor

MÓDULO V – TRABALHO EM S/E – MÉTODOS À DISTÂNCIA E AO POTENCIAL (Simulação em instalação desenergizada)
Carga Horária: 24 horas
Objetivo: Aplicar os conhecimentos teóricos para executar as tarefas de manutenção em S/E de 138 KV.
Técnicas e Recursos Instrucionais
– Aula demonstrativa
– Ferramental e equipamentos específicos
– S/E do Sistema de Transmissão

1. Execução de tarefa com mais de 01(um) eletricista ao potencial
2. Uso de corda diretamente ao potencial (Aguardando aprovação)
3. Desconectar e conectar seccionadora – S/E 138KV
4. Desconectar e conectar TC – transformadores de corrente.
5. Desconectar e conectar TP – transformadores de potência
6. Desconexão e conexão de pingado.

MODULO VI – TRABALHO EM S/E ENERGIZADA – MÉTODOS À DISTÂNCIA E AO POTENCIAL
Carga Horária: 40 horas
Objetivo: Aplicar os conhecimentos teóricos para executar as tarefas de manutenção em S/E Energizada de 138 KV.
Técnicas e Recursos Instrucionais
– Aula demonstrativa
– Ferramental e equipamentos específicos
– S/E do Sistema de Transmissão
1. Execução de tarefa com mais de 01(um) eletricista ao potencial
2. Uso de corda diretamente ao potencial (Aguardando aprovação)
3. Desconectar e conectar seccionadora – S/E 138KV
4. Desconectar e conectar TC – transformadores de corrente.
5. Desconectar e conectar TP – transformadores de potência
6. Desconexão e conexão de pingado
7. Correção de sobreaquecimento

DESCRIÇÃO: Capacitar tecnicamente a equipe para dar manutenção em linhas de transmissão energizadas até 138 kV, visando o reparo em diversos tipos de estruturas de poste.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que venham a realizar manutenção em instalações energizadas até 138 kV em estruturas de poste, com conhecimentos equivalentes à 4ª série do 1º grau.

DURAÇÃO: 160 horas.

PRÉ REQUISITOS:
– Ter resultado “APTO” no último ASO (Atestado de Saúde Ocupacional).
– Ter conhecimentos de Linhas de transmissão
– Ter realizado os treinamentos NR-10 Básico, NR-10 SEP e NR-35

AVALIAÇÃO: Prova prática: Acompanhamento do desempenho em campo.

PROGRAMA:
1. Histórico
2. Composição das equipes de manutenção
3. Transporte para deslocamento de pessoal e ferramental
4. Comunicação das equipes com as SEs envolvidas
5. Condições meteorológicas
6. Distância de segurança
7. Trabalhos com distância reduzida
8. Aspectos importantes de segurança
9. Autorização para início dos serviços
10. Ferramentas e equipamentos
11. Ferramentas para Linha Viva
12. Ferramentas Universais
13. Substituição de Isoladores de Pino para 69KV
14. Substituição de Isoladores de Disco
  a. Ancoragem
  b. Suspensão
15. Liberação de Seccionadora para manutenção e substituição para 69KV e 138 KV
16. Substituição de Cruzetas para estruturas tipo A, B, AB, ABM, HS, HSB, HSD e HSDB para 34.5 KV e 69 KV
17. Substituição de Poste para estruturas tipo HS, HXS e J para 34.5 KV, 69 KV e 138 KV
18. Abertura e fechamento de Jumper

DESCRIÇÃO: Capacitar tecnicamente a equipe de para dar manutenção em instalações desenergizadas em linhas de transmissão de 230KV até 500 KV visando reparo nas diversas estruturas.

PÚBLICO ALVO: Profissionais que venham a realizar manutenção em instalações desenergizadas de 230KV até 500 KV.

DURAÇÃO: 80 horas

PROGRAMA:
1. Abertura e fechamento de jumper em ancoragem (230KV / 345KV / 440KV /500KV)
2. Instalação e substituição de amortecedores no para-raios (230KV / 345KV / 440KV / 500KV)
3. Saída do eletricista no condutor com a bicicleta nova
4. Grampear condutores em estrutura de suspensão (230KV / 345KV)
5. Grampear condutores em estrutura de suspensão (440KV / 500KV)
6. Substituir isolador em cadeia de suspensão simples (230KV / 345KV)
7. Substituir isolador em cadeia de suspensão simples (440KV / 500KV)
8. Substituir isolador em cadeia de suspensão “V” (230KV / 345KV)
9. Substituir isolador em cadeia de suspensão “V” (440KV / 500KV)
10. Substituir isolador em cadeia de ancoragem simples (230KV / 345KV) – Cadeia simples / Cabo duplo
11. Substituir isolador em cadeia de ancoragem dupla (230KV / 345KV)
12. Substituir isolador em cadeia de ancoragem dupla (440KV / 500KV)
13. Substituir espaçadores (230KV / 345KV / 440KV / 500KV)
14. Bandolar condutor em estrutura de suspensão (230KV / 345KV / 440KV / 500KV)

DESCRIÇÃO: Capacitar tecnicamente a equipe para dar manutenção em instalações energizadas de linhas de transmissão de 230KV até 500 KV, pelo método ao potencial, visando reparo nos diversos tipos de estruturas

PÚBLICO ALVO: Profissionais que exercem ou venham a exercer a função de eletricista de manutenção em linhas de transmissão e já tenham participado do curso de Manutenção em Instalações Desenergizadas e Energizadas de Transmissão – 69KV a 138KV

DURAÇÃO: 240 horas

PROGRAMA:
MÓDULO I – TRABALHO EM LINHAS DE TRANSMISSÃO – MÉTODO À DISTÂNCIA (Simulação em instalação desenergizada)
Carga Horária: 24 horas
Objetivo: Aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos, para executar as tarefas de manutenção de linhas de transmissão de 230KV até 500 KV.
Técnicas e Recursos Instrucionais:
– Aula demonstrativa
– Ferramental e equipamentos específicos
– Campo de treinamento – Linhas de Transmissão – 230KV/440KV – Desenergizada
1. Preparação de ferramental
2. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de suspensão – Fase lateral – Circuito duplo
3. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de suspensão – Fase interna – Circuito duplo
4. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de suspensão – Fase superior – Circuito duplo
5. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de suspensão – Fase lateral – Torre Delta

MÓDULO II – TRABALHO EM LINHAS DE TRANSMISSÃO ENERGIZADA – MÉTODO À DISTÂNCIA
Carga Horária: 24 horas
Objetivo: Aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos, para executar as tarefas de manutenção de LTs de 230KV até 500KV.
Técnicas e Recursos Instrucionais:
– Aula demonstrativa
– Ferramental e equipamentos específicos
– Linhas de Transmissão – 230KV/440KV – Energizadas
1. Preparação de ferramental
2. Troca de isoladores e ferragens em cadeia “I” – Estrutura de suspensão – Fase lateral – Circuito duplo
3. Troca de isoladores e ferragens em cadeia “I” – Estrutura de suspensão – Fase interna – Circuito duplo
4. Troca de isoladores e ferragens em cadeia “I” – Estrutura de suspensão – Fase superior – Circuito duplo
5. Troca de isoladores e ferragens em cadeia “I” – Estrutura de suspensão – Fase lateral – Torre Delta

MÓDULO III – TRABALHO EM LINHAS DE TRANSMISSÃO ENERGIZADA – MÉTODO AO POTENCIAL (Simulação em instalação desenergizada)
Carga Horária: 32 horas
Objetivo: Aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos, para executar as tarefas de manutenção de linhas de transmissão de 230KV até 500KV.
Técnicas e Recursos Instrucionais:
– Aula demonstrativa
– Ferramental e equipamentos específicos
– Campo de treinamento – Linhas de Transmissão – 230KV/440KV – Desenergizada.
1. Acesso do eletricista ao potencial
2. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de suspensão
3. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de ancoragem

MÓDULO IV – TRABALHO EM LINHAS DE TRANSMISSÃO ENERGIZADAS – MÉTODO AO POTENCIAL
Carga Horária: 136 horas
Objetivo: Aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos, para executar as tarefas de manutenção de linhas de transmissão de 230KV até 500KV.
Técnicas e Recursos Instrucionais:
– Aula demonstrativa
– Ferramental e equipamentos específicos
– Linhas de Transmissão – 230KV/440KV – Energizadas.
1. Preparação de ferramental
2. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de suspensão – Fase lateral – Circuito duplo
3. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de suspensão – Fase interna – Circuito duplo
4. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de suspensão – Fase superior – Circuito duplo
5. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de ancoragem – Fase lateral – Circuito duplo
6. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de ancoragem – Fase interna – Circuito duplo
7. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de ancoragem – Fase superior – Circuito duplo
8. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de suspensão em V – Torre Delta
9. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de ancoragem – Fase lateral – Torre Delta
10. Troca de isoladores e ferragens em cadeia – Estrutura de ancoragem – Fase interna – Torre Delta
11. Substituição de espaçadores
12. Instalação de reparos pré-formados

MÓDULO V – TRABALHO EM S/E ENERGIZADA – 230KV A 500KV – MÉTODO AO POTENCIAL
Carga Horária: 16 horas
Objetivo: Aplicar os conhecimentos teóricos para executar as tarefas de manutenção em S/E energizada de 230KV a 500KV.
Técnicas e Recursos Instrucionais
– Aula demonstrativa
– Ferramental e equipamentos específicos
– S/E do Sistema de Transmissão
1. Execução de tarefa com mais de 01(um) eletricista ao potencial
2. Uso de corda diretamente ao potencial
3. Instalação de reparo pré-formado
4. Substituição de espaçadores
5. Correção de sobreaquecimento

DESCRIÇÃO: Ao final do treinamento os participantes terão uma noção clara dos fenômenos ligados à QEE e identificar os equipamentos mais sensíveis e como podem ser afetados por variações na QEE.

PÚBLICO ALVO: Eletricistas e mantenedores industriais.

DURAÇÃO: 3 dias (24 horas)

PROGRAMA:

1. Conceitos gerais sobre qualidade da energia elétrica
1.1. Crescimento das cargas eletrônicas
1.2. Custos da má QEE
1.3. Qualidade de fornecimento de energia elétrica
1.4. Principais distúrbios da QEE
1.4.1. Fenômenos transitórios
1.4.2. Fenômenos de curta duração
1.4.3. Fenômenos de longa duração
1.4.4. Desequilíbrios
1.4.5. Distorções da forma de onda
1.4.6. Flutuações
1.4.7. Variações momentâneas de freqüência
2. Novas definições de potência
2.1. Considerações gerais
2.2. Potência aparente
2.3. Potência ativa
2.4. Potência de deslocamento
2.5. Potência de distorção
2.6. Potência de desequilíbrio
2.7. Fatores de potência
2.8. Fatores de referência
3. Afundamentos de tensão
3.1. Conceituação
3.2. Causas do afundamento de tensão
3.3. Fatores de influência no afundamento de tensão
3.4. Efeitos sobre equipamentos eletro-eletrônicos
3.5. Conceito de área de vulnerabilidade
3.6. Medidas preventivas e corretivas
4. Desequilíbrios de tensão
4.1. Conceitos
4.2. Origens
4.3. Conseqüências
4.4. Limites
4.5. Soluções
5. Flutuações de tensão
5.1. Considerações
5.2. Conceituação do problema
5.3. Principais cargas perturbadoras
5.4. Efeitos das flutuações de tensão
6. Efeito Flicker
6.1. Considerações iniciais
6.2. Aspectos gerais
6.3. Métodos de avaliação
6.4. Considerações finais
7. Harmônicos
7.1. Série de Fourier
7.2. Revisão de algumas noções de trigonometria e fasores
7.3. Onda em degrau
7.4. Onda em escada
7.5. Transformada numérica de Fourier
7.6. Transformada rápida de Fourier
7.7. Série de senos
8. Fluxo de harmônicos
8.1. Potência elétrica em regime senoidal
8.2. Potência elétrica em regime deformado
8.3. Componentes simétricas em regime senoidal desequilibrado
8.4. Componentes simétricas em regime deformado
8.5. Conexão triângulo-estrela
8.6. Cargas equilibradas
8.7. Cargas desequilibradas
8.8. Corrente de neutro
8.9. Conexões de transformadores
8.10. Motores assíncronos
9. Cargas não lineares
10. Estudo de caso – Diagnóstico da QEE
10.1. Introdução
10.2. Objetivo
10.3. Metodologia
10.4. Medição de campo
10.5. Diagnóstico da QEE
10.6. Diagnóstico do problema – Paradas de produção
11. Análises e conclusões

DESCRIÇÃO: Ao final do treinamento os participantes deverão conhecer e correlacionar as diferentes topologias e tecnologias empregadas na Eletrônica de Potência, conhecer e especificar os principais semicondutores de potência, conhecer as diferentes estruturas de conversores estáticos e seus sistemas de proteção e escolher componentes e estruturas.

PÚBLICO ALVO: Eletricistas e mantenedores industriais.

DURAÇÃO: 4,5 dias (36 horas)

PROGRAMA:
1. Análise de Circuitos Trifásicos
1.1. Geração de Tensões Trifásicas
1.2. Tensões, Correntes e Potências Trifásicas
1.3. Circuitos com Ligações Y e ∆
1.4. Análise de Circuitos Trifásicos Equilibrados e Desequilibrados
2. Eletrônica de potência
2.1. Definições
2.2. Chaves semicondutoras de potência
2.3. Tipos de circuitos de eletrônica de potência
2.4. Aplicações da eletrônica de potência
3. Dispositivos de potência: características e funcionamento
3.1. Diodos de potência
3.2. Transistor bipolar de junção (TJB)
3.3. Transistor de efeito de campo metal-óxido-semicondutor (MOSFET)
3.4. Transistor bipolar de porta isolada (IGBT)
3.5. Retificador controlado de silício (SCR)
3.6. TRIAC
4. Dispositivos e circuitos de disparo
4.1. DIAC
4.2. Transistor de unijunção (UJT)
4.3. Oscilador de relaxação com UJT
4.4. CIs para disparo
5. Dispositivos de proteção e circuitos
5.1. Varistores
5.2. Fusíveis
5.3. Transformadores de pulso
5.4. Acopladores ópticos
6. Conversores AC/DC (retificadores)
6.1. Retificadores monofásicos não controlados
6.2. Retificadores monofásicos controlados
7. Conversores DC/DC (choppers)
7.1. Choppers step-down (buck)
7.2. Choppers step-up (boost)
7.3. Choppers buck-boost
8. Conversores DC/AC (inversores)
8.1. Funcionamento de inversores monofásicos
9. Chaves estáticas
9.1. Definição e aplicações
9.2. Comparação com relés eletromecânicos
10. Relé de estado sólido (SSR)

DESCRIÇÃO: Ao final do treinamento os participantes deverão conhecer os diferentes métodos e sistema de segurança em instalações e sistemas elétricos.

PÚBLICO ALVO: Eletricistas e mantenedores industriais.

DURAÇÃO: 4,5 dias (36 horas)

PROGRAMA:
1. Proteção contra choques elétricos
1.1. A corrente elétrica no corpo humano
1.2. Fundamentos de proteção contra choques elétricos
1.3. Aterramentos e equipotencialização
1.4. As isolações e os graus de proteção
1.5. Proteção básica contra contatos diretos
2. Sistemas de aterramento
2.1. Proteção contra contatos indiretos
2.2. Aterramento de equipamentos
2.3. Elementos de uma malha de terra
2.4. Resistividade do solo
2.5. Cálculo da malha de terra
2.6. Cálculo de um sistema de aterramento
2.7. Medição da resistência de terra
2.8. Métodos de inspeção de um sistema de aterramento
3. Medidas de proteção contra choques elétricos
3.1. Básica e supletiva
3.1.1. Limitação da tensão de alimentação
3.1.2. Extrabaixa tensão funcional
3.1.3. Emprego de equipamentos classe II
3.1.4. Proteção em locais não condutores
3.1.5. Proteção por ligações equipotenciais locais não aterradas
3.1.6. Proteção por separação elétrica
3.2. Seccionamento automático
3.2.1. Fundamentos
3.2.2. Esquema TN
3.2.3. Esquema TT
3.2.4. Esquema IT
3.2.5. Aplicação dos esquemas de aterramento
3.2.6. Aplicação dos dispositivos DR
3.2.7. Condutores de proteção
4. Proteção contra descargas atmosféricas
4.1. Origem dos raios
4.2. Orientações para proteção do indivíduo
4.3. Sistemas de proteção contra descargas atmosféricas

DESCRIÇÃO: Ao final do treinamento os participantes deverão conhecer e correlacionar as diferentes tecnologias empregadas na proteção de sistemas elétricos de potência, conhecer e especificar os principais tipos de relés bem como sua aplicação adequada às filosofias adotadas.

PÚBLICO ALVO: Eletricistas e mantenedores industriais..

DURAÇÃO: 5 dias (40 horas)

PROGRAMA:
1. Elementos de Proteção – Conceitos Básicos
1.1. Estrutura básica de um sistema de proteção
1.2. Falhas de um sistema de potência
1.3. Requisitos básicos de um sistema de proteção
1.4. Dispositivos de proteção
1.5. Características dos relés de proteção
1.6. Tipos de proteção dos sistemas elétricos
1.7. Seletividade
1.8. Sistemas de comunicação
1.9. Técnicas digitais
1.10. Serviços auxiliares
2. Transformadores de Medidas – Conceitos Básicos
2.1. Transformador de corrente
2.2. Transformador de potencial
3. Relés de Proteção
3.1. Relés de sobrecorrente (50/51)
3.2. Relé diferencial de corrente (87)
3.3. Relé direcional (67)
3.4. Relé de distância (21)
3.5. Relé de sobretensão (59)
3.6. Relé de subtensão (27)
3.7. Relé de tensão (27/59)
3.8. Relé de religamento (79)
3.9. Relé de sincronismo (25)
4. Proteção de Sistemas Elétricos de Potência
4.1. Conceitos Básicos
4.2. Proteção de Geradores
4.2.1. Proteção diferencial de corrente
4.2.2. Proteção contra faltas na rede elétrica
4.2.3. Proteção contra sobrecarga
4.2.4. Proteção contra cargas assimétricas
4.2.5. Proteção contra perda de excitação
4.2.6. Proteção contra motorização
4.2.7. Proteção contra sub e sobretensão
4.2.8. Proteção contra sobrevelocidade
4.2.9. Proteção contra sobrefrequência
4.2.10. Proteção contra falta de tensão auxiliar
4.2.11. Proteção contra descargas atmosféricas
4.3. Proteção de Motores Elétricos
4.3.1. Proteção contra sobrecorrente
4.3.2. Proteção por detectores de temperatura
4.3.3. Proteção contra sub e sobretensão
4.3.4. Proteção contra partida prolongada
4.3.5. Proteção contra rotor bloqueado
4.3.6. Proteção por perda de carga
4.3.7. Proteção contra desequilíbrio de corrente
4.3.8. Proteção contra fuga de corrente à terra
4.3.9. Proteção contra perda de excitação / sincronismo
4.3.10. Proteção contra descargas atmosféricas
4.4. Proteção de Transformadores
4.4.1. Tipos de falhas nos transformadores
4.4.2. Proteção por fusíveis
4.4.3. Proteção por relés de sobrecorrente
4.4.4. Proteção por relé diferencial de sobrecorrente
4.4.5. Proteção por relé de sobretensão
4.4.6. Proteção por imagem térmica
4.5. Proteção de Disjuntor
4.5.1. Proteção contra falha de disjuntor
4.6. Proteção de Barra
4.6.1. Proteção diferencial
4.7. Proteção de Linha
4.7.1. Proteção contra sobrecorrente
4.7.2. Proteção direcional de corrente
4.7.3. Proteção de distância
4.7.4. Proteção diferencial de sobrecorrente
4.7.5. Proteção contra sobretensão
5. Sistemas especiais de proteção

DESCRIÇÃO: Ao final do treinamento os participantes deverão conhecer e correlacionar as diferentes tecnologias empregadas nos relés de proteção, conhecer e especificar os principais tipos de relés bem como sua aplicação adequada.

PÚBLICO ALVO: Eletricistas e mantenedores industriais.

DURAÇÃO: 4,5 dias (36 horas).

PROGRAMA:

1. Elementos de Proteção – Conceitos Básicos
1.1. Estrutura básica de um sistema de proteção
1.2. Falhas de um sistema de potência
1.3. Requisitos básicos de um sistema de proteção
1.4. Dispositivos de proteção
1.5. Características dos relés de proteção
1.6. Tipos de proteção dos sistemas elétricos
1.7. Seletividade
1.8. Sistemas de comunicação
1.9. Técnicas digitais
1.10. Serviços auxiliares
2. Transformadores de Medidas – Conceitos Básicos
2.1. Transformador de corrente
2.2. Transformador de potencial
3. Relés de Proteção
3.1. Relés de sobrecorrente (50/51)
3.2. Relé diferencial de corrente (87)
3.3. Relé direcional (67)
3.4. Relé de distância (21)
3.5. Relé de sobretensão (59)
3.6. Relé de subtensão (27)
3.7. Relé de tensão (27/59)
3.8. Relé de religamento (79)
3.9. Relé de sincronismo (25)

DESCRIÇÃO: Este curso tem como objetivo descrever os conceitos principais da tecnologia relacionada a Energia Solar Fotovoltaica. Os principais elementos de um Sistema Fotovoltaico ON GRID e OFF GRID e suas aplicações serão abordados nesse treinamento.

PÚBLICO ALVO: 
– Engenheiros e Arquitetos
– Técnicos
– Revendedores da área de Energia Solar
– Empresários e empreendedores
– Demais profissionais da área de Energia Solar

DURAÇÃO: 2 dias (16 horas).

PROGRAMA:
1. Mercado de Energia Solar Fotovoltaica
 1.1.   Mercado no Brasil e no Mundo
 1.2.   Aspectos deste mercado
  1.2.1. Aspectos Comerciais
  1.2.2. Estratégias
  1.2.3. Cadeia de Valor
 1.3.   Resoluções da ANEEL 482/12 e 687/15 / ABNT
2. Conceitos da Tecnologia
 2.1.   História da Energia Solar
 2.2.   Conceitos técnicos sobre Energia Fotovoltaica
 2.3.   Tipos de sistemas fotovoltaicos
  2.3.1. Sistema ON GRID
  2.3.2. Sistema OFF GRID
 2.4.   Descritivo e funções dos elementos do sistema
 2.5.   Noções de Dimensionamento dos sistemas
 2.6.   Noções de Instalação

DESCRIÇÃO: Este curso tem como objetivo descrever os conceitos principais da tecnologia, os elementos de rede dos Sistemas Fotovoltaicos ON GRID e OFF GRID e suas aplicações, bem como dimensionar um sistema ON GRID e OFF GRID.

PÚBLICO ALVO: 
– Engenheiros e Arquitetos
– Técnicos
– Revendedores da área de Energia Solar
– Empresários e empreendedores
– Demais profissionais da área de Energia Solar

DURAÇÃO: 4 dias (32 horas).

PROGRAMA:
1. Mercado de Energia Solar Fotovoltaica
 1.1. Mercado no Brasil e no Mundo
 1.2. Aspectos deste mercado
  1.2.1. Aspectos Comerciais
  1.2.2. Estratégias
  1.2.3. Cadeia de Valor
 1.3 Resoluções da ANEEL 482/12 e 687/15 / ABNT
2. Conceitos e Aplicações
 2.1. Conceitos da tecnologia Fotovoltaica
 2.2. Aplicações e uso de sistemas fotovoltaicos
2.3. Descritivo geral e principais funções dos elementos dos sistemas ON GRID e OFF GRID
  2.3.1. Módulos Solares
  2.3.2. Inversores
  2.3.3. String Box
  2.3.4. Controlador de Carga
  2.3.5. Baterias e outros elementos
 2.4. Principais fornecedores de sistemas fotovoltaicos
3. Dimensionamento
 3.1. Critérios para o dimensionamento de Sistemas ON GRID
 3.2. Exemplos de projetos e cálculos
 3.3. Critérios para o dimensionamento de Sistemas OFF GRID
 3.4. Exemplos de Projetos e cálculos
4. Instalação
 4.1 Aspectos gerais sobre Instalação de um sistema ON GRID

 

FORMAS DE CAPACITACÃO

Cursos Sob Medida Na IWF, temos um grande diferencial: montamos o curso de acordo com as necessidades do cliente, desde as adaptações de conteúdo até a seleção de profissionais altamente capacitados.

Cursos Sob Medida-
Na IWF, temos um grande diferencial: montamos o curso de acordo com as necessidades do cliente, desde as adaptações de conteúdo até a seleção de profissionais altamente capacitados.

Programa de Capacitação Personalizado Aqui, desenvolvemos o curso especialmente para o cliente. Além de personalizarmos um conteúdo totalmente novo, abordamos e atualizamos novas áreas de aplicação.

Programa de Capacitação Personalizado-
Aqui, desenvolvemos o curso especialmente para o cliente. Além de personalizarmos um conteúdo totalmente novo, abordamos e atualizamos novas áreas de aplicação.

 

© IWF 2015 | todos os direitos reservados